Conecte-se Conosco
 

 

Notícias

Literatura: tenente-coronel do CBMTO conquista inédita cadeira na Academia de Letras dos Militares do Brasil

Publicado

em

A solenidade será na sede da Procuradoria-Geral de Justiça do Maranhão, e a tenente-coronel da reserva, Lucelita Maria Alves, vai ocupar a cadeira nº 25

A tenente-coronel da Reserva, Lucelita Maria Alves, conquistou cadeira inédita na Academia de Letras Militares Estaduais do Brasil, e vai ser empossada dia 18, na sede da Procuradoria-Geral de Justiça do Maranhão, em São Luís. A cerimônia será às 16h.

Esta é a primeira vez, no Brasil, que uma mulher conquista vaga junto à Academia, e a tenente-coronel vai ocupar a cadeira de número 25, que tem como Patrono o Dr. Manoel Edir Rocha.

“É uma grande conquista para mim, haja vista ser a primeira mulher a ocupar uma Cadeira nessa Casa de Letras”, relatou a tenente-coronel, escritora e autora de diversas obras literárias.

O Comandante-geral do CBMTO destacou a competência administrativa e sobretudo artística da tenente-coronel Lucelita durante sua passagem pela instituição. “Enquanto bombeira, foi uma excelente profissional, dedicada e com muito zelo ao serviço. E no campo da literatura não é diferente, é dona de um potencial que enaltece e nos enche de orgulho”, destacou o coronel Carlos Eduardo Farias.

Histórico

Lucelita também é, desde agosto de 2017, membro da Academia Palmense de Letras e ocupa a Cadeira de número 19, e que tem como Patrono o poeta e escritor brasileiro Casimiro de Abreu.

O nome completo da escritora é Lucelita Maria Alves, contudo, a assinatura é Lita Maria, que tem 55 anos e é natural de Turvânia – GO. Atualmente, Lita tem residências em Palmas e Goiânia, morando lá e cá, conforme necessidades e agendas.

Entre as obras já publicadas, Lita Maria tem o livro de poemas Carretel de Rosas (março/2012) e o romance O amor de Gato Tigre por Charlote Cachecol (setembro/2013), os dois lançados pela Editora Kelps.

Lita ainda escreveu e lançou o romance O Canto da Carpideira (2015), pela EDUFT. A escritora destaca que, nesta obra, a morte é orquestrada e marca o protagonismo de mulheres carpideiras, benzedeiras, doceiras, lavandeiras, entre outras. O livro é parte da Coleção Literatura Tocantinense, publicado pela Editora-UFT, que foi tema pesquisado em defesa de mestrado pela Universidade Federal do Tocantins (UFT).

Em setembro de 2021, Lita Maria publicou pela Editora Veloso, Sobre Dora e Dores, por meio de um projeto contemplado pela Lei de Incentivo à Cultura (Aldir Blanc). O romance ainda rendeu um longa-metragem, com assinatura de contrato com a Produtora Cena Filmes, que está fazendo a adaptação da obra.

Tenente-coronel da Reserva, escritora, membro da Academia Palmense de Letras, da União Brasileira de Escritores e membro correspondente da Academia de Letras de Araguaína, filha de Anália e Francisco. Mãe de Santiago e Clara.

E a partir deste dia 18, será também membro da Academia de Letras Militares Estaduais do Brasil.

Publicidade    
Clique Para Comentar

Deixe uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

TENDÊNCIA